Telemedicina a favor da vida

As chances de recuperação de uma pessoa que sofre um AVC são diretamente proporcionais à rapidez com que ela recebe o tratamento correto. E a tecnologia tem uma contribuição importante para um desfecho positivo

O acidente vascular cerebral é uma das principais causas de morte no País, vitimando mais de 100 mil pessoas por ano, segundo o Ministério da Saúde. Dentre os sobreviventes, boa parte permanece com sequelas graves. E é a agilidade no diagnóstico e no tratamento que determina as chances de superar o episódio sem grandes consequências.

O AVC acontece quando há o rompimento ou o entupimento de um vaso do cérebro. No primeiro caso, o sangue extravasa e danifica as células. No segundo, o fluxo sanguíneo para elas é interrompido. Em ambas as situações, as tais células, chamadas neurônios, morrem em grande quantidade, à medida que o tempo passa—são cerca de 2 milhões por minuto.

Em outras palavras, as chances de recuperação dependem da agilidade e da assertividade no socorro. É por essa razão que o Hospital Pró-Cardíaco investe na telemedicina. Funciona assim: os neurologistas do hospital, disponíveis 24 horas para atendimentos de emergência, também participam de videoconferências com médicos de outras instituições, visando prestar auxílio nos diagnósticos de AVC.

Isso quer dizer que, ao receber um indivíduo com suspeita do problema, a equipe de assistência pode acessar um especialista do Pró-Cardíaco, via telemedicina, para discutir o caso, ampliando a probabilidade de acerto nas decisões. “O tempo entre a ocorrência do AVC e o início do tratamento diminui muito com esse recurso”, comenta o Dr. Valerio de Carvalho, neurologista, em entrevista ao Jornal da Band. Além de ajudar equipes de outros hospitais, o Pró-Cardíaco oferece um curso de capacitação aos profissionais da rede atendida pelo programa de telemedicina.

No entanto, não basta que a equipe médica atue com rapidez se demorar muito para o paciente chegar ao hospital. Daí a necessidade de ficar atento aos sintomas e prestar socorro o mais rápido possível, caso alguém próximo os manifeste. Fraqueza, dormência ou falta de sensibilidade de um dos lados do corpo, dificuldade de enxergar, falar ou compreender informações, visão dupla e tontura súbita estão entre os sinais de atenção, de acordo com o Dr. Daniel Bezerra, que também integra o time do Pró-Cardíaco e participou da mesma reportagem.

Compartilhar:
Share